Dicas para você não precisar mais ficar rodando na plataforma sem escolher nada.

Depois das séries escondidas da Netlifx, chegou a hora dos filmes. Quem nunca passou horas tentando achar um novo longa para assistir na plataforma, somente para desistir e reassistir um título? Bom, o AdoroCinema juntou uma lista para acabar com este problema. Englobando todos os gêneros, abaixo estão 13 filmes escondidos na Netfilx para quem quer rir, chorar e se assustar. Contando até com a presença de um curta-metragem, para um momento que você estiver sem muito tempo, as produções da lista contam com indicações da redação do site, talvez algumas você já conheça mas não saiba que estavam na plataforma, outras talvez nunca tenha ouvido falar.

Confira a lista de 13 filmes escondidos na Netflix, e quem sabe, o algoritmo até comece a te recomendar coisas novas:

A MÚSICA NUNCA PAROU

O drama estrelado por J.K. Simmons abre a nossa lista. A Música Nunca Parou segue Henry (Simmons) em sua tentativa de se reconectar com seu filho Gabriel (Lou Taylor Pucci). O jovem está com um tumor no cérebro que não permite que novas lembranças sejam formadas, e sem ver o pai por 20 anos, os dois tentam a reaproximação pela coisa que tinham em comum anos atrás: música. Baseado no artigo The Last Hippie, de Oliver Sacks, o drama conta com uma trilha sonora que inclui músicas do Bob Dylan, Beatles, Rolling Stones e outros clássicos do rock, introduzindo as canções para desenvolver o vínculo entre o pai e filho. Sensível e emocionante, A Música Nunca Parou vai quebrar seu coração e colocá-lo de volta no lugar em menos de duas horas. (Indicação por Nathalia Jesus)

O CARA CERTO

Comédia romântica misturada com ação, O Cara Certo traz Sam Rockwell e Anna Kendrick como um dos casais mais improváveis do cinema, mas funciona. Cheios de química, os dois são a alma do filme, que acompanha Martha (Kendrick) após o término de um longo relacionamento. De coração partido, ela conhece um homem misterioso em uma loja de conveniência, e rapidamente os dois se tornam o centro da vida um do outro. Com um senso de humor diferente, ele sempre comenta sobre os assassinatos que comete, e mal sabe ela que ele está simplesmente contando a verdade sobre sua vida, já que Francis (Rockwell) é um matador de aluguel. Ainda com a charmosa participação de Tim RothO Cara Certo é uma comédia peculiar que merece mais atenção.

4TH MAN OUT

Divertido e fofo, 4th Man Out mostra de forma bem sincera como é para um homem se assumir gay para seu grupo de amigos. Adam (Evan Todd) finalmente consegue juntar a coragem de contar seu segredo para seus três melhores amigos de infância, Chris (Parker Young), Nick (Chord Overstreet) e Ortu (Jon Gabrus). Sem saber lidar com o anúncio, o trio tenta se adaptar com o que eles acham ser uma mudança na relação com Adam, mas pouco a pouco, eles superam sua homofobia e lembram que seu amigo não mudou. Para quem já saiu do armário ou para quem tem amigos que passaram por este processo, 4th Man Out é bem honesto sobre como a reação das pessoas a sua volta pode ser, independente do quão próximas ou o quanto elas te amam.

INCRÍVEL JESSICA JAMES

Não dá para falar de Netflix e não comentar sobre comédias românticas. A gigante do streaming pode ser o maior motivo pela volta do gênero, mas nem todas as suas produções são tão conhecidas. A Incrível Jessica James começa em um belo clichê: uma mulher tentando superar um término. Jessica (Jessica Williams) está voltando a sair com pessoas quando conhece Boone (Chris O’Dowd), um recém-divorciado que também está voltando a ativa. Tentando construir uma carreira como roteirista, Jessica e Boone ficam cada vez mais próximos, mas como todas as comédias românticas, algo acontece que atrapalha a relação dos dois. Jessica é uma daquelas personagens fortes que não ter como você não gostar, ou até mesmo aspirar a ser, e como de costume em a maioria de seus grandes papéis, O’Dowd é um daqueles homens bonzinhos. (Indicação por Roanna Cunha)

COM AMOR, VAN GOGH

Uma animação diferente da média, Com Amor, Van Gogh é literalmente uma hora e meia de obra de arte. Todo pintado no mesmo estilo de sua inspiração, o artista Vincent Van Gogh, o filme segue Armand (Douglas Booth), o filho do carteiro que acha uma última carta que Vincent mandou a seu irmão Theo. Na jornada para fazer a entrega, ele passa a investigar se o pintor havia mesmo se matado ou se outra pessoa estava envolvida. Um tipo diferente de biografia, já Van Gogh em momento nenhum aparece, apesar de ele ser o que une todos os personagens, e a história contada é a sua. Criado por um time de mais de 100 pintores, Com Amor, Van Gogh deveria ter toda a popularidade que as animações da Disney têm.

ANIMA

Do aclamado diretor Paul Thomas Anderson, que esteve por trás de MagnóliaSangue Negro e o mais recente Trama FantasmaAnima é um curta-metragem feito em parceria com Thom Yorke, vocalista da banda Radiohead. Com trilha-sonora do terceiro disco do cantor, o filme também é protagonizado por Yorke, ao lado de sua parceira Dajana Roncione. Difícil de descrever o enredo, o curta é visualmente brilhante, coreografado por Damien Jalet, que esteve por trás de Suspiria – A Dança do Medo, com danças contemporâneas de tirar o fôlego. Com apenas 15 minutos, Anima consegue emocionar tanto quanto um longa.

Mais Uma Chance

Começar uma família é uma decisão difícil para qualquer um, mas o processo pode ser ainda mais complicado. Mais Uma Chance segue o casal composto por Rachel (Kathryn Hahn) e Richard (Paul Giamatti), já com mais de 40 anos, que estão fazendo de tudo para conseguir conceber seu filho. A comédia dramática faz o espectador acompanhar a luta dos dois pelos diferentes métodos e possibilidades de ter um bebê, e a chegada de sua sobrinha, Sadie (Kayli Carter) ajuda ao mesmo tempo que complica tudo. Extremamente honesto, a alma do filme está nas atuações perfeitas dos protagonistas, que demonstram as dores e os desafios do dia a dia de um casal comum passando por um momento difícil. Perfeito para rir e para chorar, Mais Uma Chance é perfeito para qualquer humor.

UM CADÁVER PARA SOBREVIVER

Por algum motivo, alguém decidiu que seria uma boa ideia colocar Daniel Radcliffe como um morto-vivo, que se comunica através da flatulência, em uma ilha deserta junto com Paul Dano, que tenta fugir e voltar para a sociedade. E por alguma razão, ainda mais inacreditável, o resultado é um enredo extremamente sensível, e ao mesmo tempo ácido, que fala sobre questões como aceitação, auto descoberta, solidão e relações humanas. Só prepare-se para passar um bom tempo perguntando a si mesmo: “o que eu estou assistindo mesmo?” enquanto assiste Um Cadáver Para Sobreviver. (Por Ygor Palopoli)

TEMPORADA

O único brasileiro da lista, Temporada estrela Grace Passô como Juliana, uma agente de saúde que deixa sua cidade do interior para trabalhar na região metropolitana de Belo Horizonte. Combatendo endemias da região, o filme retrata uma realidade muito comum entre o trabalhador brasileiro: um trabalho cansativo, de longas horas e com poucas possibilidades de promoções. A vida é o que é, o que faz com que o drama não possa entregar grandes reviravoltas de enredo. Em uma cidade nova, longe de seu marido, Juliana começa a construir uma vida em Contagem, mas a distância cada vez mais cria problemas em seu relacionamento. Um grande estudo de personagem, uma que é representante de um grande grupo da população, Temporada é bonito e singelo, mostrando que mesmo na simplicidade e na monotonia da rotina há beleza.

CREEP

Ao longo dos anos é sempre um tanto comum ouvir falar a respeito de filmes de terror que utilizam de um orçamento baixíssimo e mesmo assim entregam narrativas incríveis, originais e criativas. Bebendo da mesma fonte de A Bruxa de Blair e Atividade ParanormalCreep conta a história de um rapaz, supostamente à beira da morte, que contrata um jornalista para documentar partes importantes de sua vida. No entanto, a cada dia que se passa, sua figura vai se tornando algo muito mais próximo do mórbido e perigoso, criando um jogo mental de gato e rato. Vale lembrar que o longa é feito no estilo “found footage”, todo em primeira pessoa. (Por Ygor Palopoli)

RAW

Longa de 2017, dirigido por Julia DucournauRaw é um terror sobre o amadurecimento feminino. Nele, Justine (Garance Marillier) é uma jovem tímida de uma família de veterinários vegetarianos que acaba de entrar para a universidade em que sua irmã mais velha, Alexia (Ella Rumpf), é veterana. Quando ela é forçada a comer carne pela primeira vez durante um trote, estranhos desejos e reações passam a tomar a sua vida e mudá-la para sempre.

Na leva do horror da última década de filmes como The BabadookCorrente do Mal e Hereditário, o longa é uma visceral representação do despreparo jovem para a vida adulta, especialmente quando se é criado em um ambiente de repressão e superproteção. Especialmente quando se trata da sexualidade feminina e seu desabrochar. Com uma fotografia belíssima, manchada de sangue de maneira inesquecível e uma trilha sonora extremamente marcante, Raw tem potencial de sobra para ser considera um clássico cult daqui a alguns anos. (Por Nathália Gonçalves)

EMO, O MUSICAL

Nenhuma lista pode estar completa sem um bom e velho musical adolescente. Emo, o Musical segue o jovem Ethan (Benson Jack Anthony), que após tentar se suicidar no pátio da escola, é expulso. Em seu novo colégio, ele rapidamente acha seu grupo: os membros da banda Worst Day Ever, um grupo de adolescentes emos que cantam músicas depressivas. Porém, Trinity (Jordan Hare), a cantora da banda cristã da escola não vai desistir antes de conseguir salvar a alma de Ethan, e por mais que não tenha interesse nenhum nas coisas que ela tenta convencê-lo, ele não consegue para de pensar na linda loira. Divertido e gostoso de assistir, o filme é uma indicação de Franscisco Russo, que o descreve como “O filme que prova que Jesus Cristo era emo.”

A VOZ DO SILÊNCIO

Para os fãs de anime, A Silent Voice está aqui para tomar seu devido lugar na lista. Uma bela história de redenção, que ainda lida com o ostracismo que deficientes sofrem constantemente, o filme segue anos a juventude de Ishida Shouya, um estudante que transforma a vida da deficiente auditiva Ishida Shouya um inferno na escola. Quando o bullying fica insuportável demais, ela é transferida, e os colegas passam a tratar Ishida da mesma forma que ele tratava a menina. Quando os dois se reencontram, e começam a desconstruir a relação que tinham para construir outra, porém o passado dos dois acaba alcançando os dois. Baseado no mangá de Yoshitoki OimaA Silent Voice é um drama esteticamente lindo, com um visual que só aumenta toda a emoção que a história apresenta. (Indicação por Rafaela Ferreira).

FONTE: ADOROCINEMA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.